Projeto Rede Minas Telecardio II

Resumo

O projeto foi iniciado em junho 2013, tem como objetivo principal a implantação da linha de cuidado do infarto na região ampliada norte de Minas Gerais.

O projeto trata-se de estudo quasi-experimental realizado em três etapas: estabelecimento da linha de base, implantação da linha de cuidado do infarto (IAM) com implantação do sistema de eletrocardiologia digital e do fluxo de atendimento. São avaliados todos os pacientes que se apresentaram com IAM na região ampliada de Minas Gerais e que foram atendidos em uma das unidades regionais, antes e após a implantação do fluxo de atendimento do IAM e do eletrocardiograma digital.

A região ampliada norte de Minas Gerais é composta de 89 municípios em nove microrregiões, e apresenta forte desigualdade social e demográfica. O tratamento do IAM é centralizado em Montes Claros, que consta com seis serviços de porta de entrada e três serviços com hemodinâmica para realização do procedimento de angioplastia.

A primeira etapa do projeto, estabelecimento da linha de base, já foi concluída e foram analisados mais de 500 casos de síndrome coronariana aguda (SCA).

Na segunda etapa ocorreu a reformulação da linha de cuidado com o estabelecimento de fluxos adequados para o tratamento do IAM, priorizando o tempo como alvo para tipo de tratamento: angioplastia primária ou trombolítico. Nesta etapa foram realizados diversos treinamentos teórico-práticos para os médicos e enfermeiros dos hospitais regionais e do SAMU, e treinamentos descentralizados nas bases regionais sobre dor torácica, fluxograma estabelecido, a forma de tratamento. Foi elaborada uma apostila sobre eletrocardiograma e realizado treinamento sobre análise eletrocardiograma para os médicos da regulação do SAMU. Nesta etapa teve a implantação do eletrocardiograma digital foi implantado em 48 ambulâncias no SAMU, de modo a realizar o diagnóstico precoce e estabelecimento rápido do tratamento adequado. Dessa forma, o ECG é enviado para central de regulação do SAMU e avaliado pelos médicos da regulação, que estabelecem o tratamento de acordo com fluxo pré-determinado.

A terceira etapa iniciou-se em setembro de 2014 e está em andamento até maio de 2015. Consiste na avaliação dos casos de SCA admitidos após o estabelecimento do eletrocardiograma digital e do estabelecimento da linha de cuidado.

Em 2014, foi aprovado pela FAPEMIG um novo projeto para manutenção do serviço implantado nas ambulâncias.

Financiador

Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais (FAPEMIG)