Hospital das Clínicas da UFMG reúne grandes nomes em três dias de discussão sobre qualidade, segurança e sustentabilidade


03.09.2018

“Pela primeira vez, o Hospital das Clínicas da UFMG, administrado pela Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh), reuniu grandes nomes da área da saúde para discutir, durante três dias, qualidade, segurança e sustentabilidade durante o “I Congresso Internacional: Qualidade, Segurança e Sustentabilidade na Atenção à Saúde”, que terminou no último sábado (25). O evento, que integrou as comemorações dos 90 anos da instituição, aconteceu no Instituto de Ensino Albert Einstein e teve a participação de um público diverso, composto, em sua maioria, por profissionais da área da saúde, trabalhadores de diversos setores do Hospital das Clínicas e de outros hospitais de Belo Horizonte, professores, alunos e residentes da Faculdade de Medicina da UFMG e de outras faculdades da capital mineira.

O médico sanitarista Gonzalo Vecina Neto, fundador da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), ex-secretário de Saúde da cidade de São Paulo, ex-secretário da Vigilância Sanitária do Ministério da Saúde e ex-superintendente do Hospital Sírio-Libanês, fechou com chave de ouro a programação do Congresso. Em sua Conferência Magna, ele falou sobre o atual cenário de saúde brasileiro, a importância de os hospitais se inserirem nas redes regionais de atenção e apresentou algumas características importantes que o hospital do futuro precisa ter para ser mais eficiente. “É preciso discutir o futuro dos hospitais e da gestão na área hospitalar e da saúde, observando as transformações pelas quais estão passando a nossa sociedade, a medicina, o perfil epidemiológico e o demográfico. Tudo isso exige das organizações uma postura diferente da que elas tiveram até agora”, afirmou.

O último dia do evento teve ainda um debate sobre excelência operacional na atenção hospitalar apresentado pela  consultora de projetos do Hospital Albert Einstein, Renata Rafaella Santos Tadeucci. Antes, aconteceram mesas-redondas em quatro eixos temáticos: Gestão da Clínica; Ensino; Pesquisa e Inovação; e Gestão Administrativa e Financeira.

Troca de conhecimento

Ao longo do I Congresso Internacional do HC-UFMG, foram realizadas 16 mesas-redondas de diversos temas, possibilitando uma ampla e variada troca de conhecimento. O Superintendente de Novos Negócios e Farmácia do Hospital Sírio Libanês, Fábio Henrique Gregory, integrou a mesa “Startups em Saúde: Oportunidades e Desafios”. “É muito importante discutir essa jornada da saúde no mundo digital. Fala-se muito, atualmente, em transformação digital. As inovações digitais podem tanto melhorar a forma tradicional da saúde como construir novos modelo de ofertar saúde”, disse.

A chefe da Divisão de Logística e Infraestrutura Hospitalar do HC-UFMG, Aline Cisar, participou da discussão e gostou do que foi apresentado. “Tinha pessoas sentadas até no chão. É um tema muito empolgante, todos saíram quase que com uma ideia, um projeto para se colocar em prática”, contou.

“Big Data na Saúde” foi o tema da mesa-redonda coordenada pelo professor Daniel Vitor Vasconcelos Santos. “A mesa foi interessantíssima, com compartilhamento das experiências do Hospital Albert Einstein pelo professor Edson Amaro Júnior e daquelas do Centro de Telessaúde do Hospital das Clínicas da UFMG pelo professor Antônio Luiz Pinho Ribeiro. Ambos mostraram aplicações promissoras envolvendo big data nas redes de saúde, comentadas pelos professores Gonzalo Vecina e James Bacthelor”, contou.

Saúde digital

O segundo dia do I Congresso Internacional do Hospital das Clínicas foi aberto com a Conferência Magna do professor da Universidade de Southampton, no Reino Unido, James Batchelor, que falou sobre saúde digital e a importância da interface entre tecnologia e saúde para acelerar o entendimento do genoma humano e, consequentemente, melhorar o tratamento do paciente. “A saúde pública é ainda mais dependente de informações de alta qualidade. É preciso entender rapidamente as doenças da população e saber quais os serviços necessários para atendê-la e tratá-la. Neste sentido, a tecnologia ajuda centros de pesquisa em todo o mundo a ampliarem os seus trabalhos para além das suas fronteiras e a alcançarem regiões de muita carência na área da saúde pública, contribuindo, por exemplo, com o controle de surtos de alguns tipos de doenças”, disse ele em entrevista exclusiva.

Essa discussão sobre o uso efetivo de dados, informação e conhecimento para a investigação científica e, consequentemente, melhoria da saúde humana também foi o mote da Conferência Magna da presidente da Sociedade Brasileira de Informática em Saúde, a médica Beatriz de Faria Leão.  “O HC e a UFMG são polos na área da informática médica. As atividades de pesquisa da professora Zilma Reis, premiadas internacionalmente, dão muito orgulho para nós da área”, lembrou.

Depoimentos

“Nós sempre pensamos que este evento deveria ser desafiador e inspirador. A nossa ideia foi inserir em quatro eixos temáticos as inquietações do próprio hospital, que em 90 anos percorreu uma trajetória de muita identidade e consciência de que não era só uma entidade que ensina, mas que aprende também. É com muita alegria que comemoramos 90 anos com uma experiência muto exitosa como a do I Congresso Internacional”, Professora Luciana Gouvêa Viana, superintendente. 

“O Congresso do HC superou as nossas expectativas pela qualidade das apresentações, pela participação da plateia, pelo feedback que tivemos de todos os participantes, pela atualidade dos temas e alinhamento aos maiores desafios que os hospitais têm enfrentado. Isso nos deu a certeza de que o hospital tem condições de protagonizar mais momento de discussão reflexão sobre a produção do cuidado em saúde como esse”. Professora Andrea Maria Silveira, Gerente de Atenção à Saúde.

“É o nosso I Congresso Internacional, o objetivo é promover uma discussão ampla de todos os aspectos que envolvem um hospital universitário e a sua missão de ensino, pesquisa, inovação tecnológica, assistência e gestão. Estamos recebendo convidados com grande experiência e que certamente contribuirão com as discussões”. Professor Alexandre Ferreira, Gerente de Ensino e Pesquisa.

“Espero que seja o primeiro de muitos congressos e que essa seja uma oportunidade de aprender com os colegas convidados, que possamos mostrar as nossas experiências e, com isso, ter um hospital melhor e que sirva melhor a cidade de Belo Horizonte, o estado de Minas Gerais e o nosso país”. Professor Antonio Ribeiro, Coordenador do Centro de Telessaúde do HC-UFMG.

“O Congresso foi muito bem organizado. Essa temática da qualidade, segurança e sustentabilidade é tudo e o Hospital das Clínicas é, sem dúvida, um modelo dentro dos hospitais universitários nestas três questões”, professor Edgar Nunes de Moraes, chefe do Serviço de Geriatria.

“Achei o Congresso com temas muito abrangentes. A parte de saúde digital foi muito interessante, pois é um tema extremamente importante para nós e conseguiu atingir todos os públicos, desde o nível operacional ao nível medico e acadêmico. Acredito que todos se identificaram de alguma forma”, Aline Cisar, chefe da Divisão de Logística e Infraestrutura Hospitalar.

“A palestra sobre saúde digital foi muito interessante. O tema em si já chama atenção e ouvir a experiência do palestrante internacional de como o Reino Unido tem as redes de pesquisa que se comunicam entre si utilizando ferramentas de informática é muito interessante. Fica o desafio para um país como o Brasil tentar se espelhar nesses modelos e tentar construir uma rede análoga de pesquisas”, Alexandre Peixoto Maia, chefe do Setor de Engenharia Clínica.

Apoio

Para a realização do I Congresso Internacional do Hospital das Clínicas da UFMG: Qualidade, Segurança e Sustentabilidade. o HC-UFMG lançou um edital de chamada pública para dar ampla divulgação no evento e assesgurar a publicidade dos seus atos. O evento teve o apoio do Banco Alfa, Unimed Belo Horizonte, MV Sistemas e Informação, Instituto de Ensino e Pesqusia Albert Einstein, 3M, Mhédica, Serquip, Sicoob, Belclips Distribuidora, Arkmeds, Village Serviços e Sindsep-MG, que se inscreveram por meio de um edital de chamada pública.”

Assesoria de Comunicação HC-UFMG